domingo, 28 de novembro de 2010

Uma Grande Árvore

Lição 9 Jardim da Infância 27 de novembro de 2010

VERSO PARA DECORAR 
“Cresçam […] na graça […] de […] Jesus.” 2 Pedro 3:18, NVI.
image
Resumo da Lição 
Um homem plantou uma pequenina semente de mostarda em sua fazenda. A mostardeira cresceu e se tornou uma enorme árvore que fazia sombra aos animais e servia de abrigo para as aves. Quando ouvimos as histórias da Bíblia, nós nos sentimos bem assim como as aves e animais se sentiam bem à sombra da mostardeira. Nossa vida é como o pé de mostarda. 
Crescemos no amor de Deus cada dia ao conhecê-Lo melhor. 
Esta lição fala sobre graça. O amor de Deus nos ajuda a crescer de muitas maneiras. Crescemos física, espiritual e mentalmente. E crescemos em amor para com Ele à medida que O conhecemos melhor.
Decoração da Sala 
Acrescentar a gravura de uma grande árvore no cenário da classe.
Lição Bíblica 
Cantar “Estamos Quietinhos” (ver p. 106, CD faixa 11). 
Vivenciando a História 
Com antecedência, cortar no papel verde duas folhas (uma grande e outra pequena) para cada criança. Distribuir as folhas e uma semente para cada aluno. Pedir a um adulto que dirija as crianças nos gestos. 
Palavras: Ações: 
semente, sementinha mostrar as sementes planta mostrar a folha pequena árvore mostrar a folha grande “O Reino dos Céus”, disse Jesus, “é como” uma semente “de mostarda” [mostrar a semente]. 
As pessoas que ouviam a Jesus sabiam que a semente de mostarda [mostrar a semente] era pequenina – uma das menores sementes [mostrar a semente] que plantavam. Mas quando um agricultor semeava aquela pequenina semente [mostrar a semente] em seu campo, ela crescia mais e mais até se tornar uma grande árvore [mostrar a folha grande]. As aves vinham e construíam ninhos em seus galhos. 
O que Jesus queria dizer com isso? Como aquela sementinha [mostrar a semente] se parecia com o reino de Deus? 
Talvez Jesus quisesse dizer que a primeira vez que você pede que Ele venha e more em seu coração, Ele coloca a semente [mostrar a semente] do amor dentro de você. Toda vez que você ouve histórias da Bíblia e pede a Jesus que entre em sua vida, a planta [mostrar a folha pequena] 
fica maior e mais forte. Logo todos podem vê-la. As pessoas veem que você tem o amor de Deus dentro do coração. Elas sabem que Jesus é seu melhor amigo. Outras pessoas desejarão estar junto de você, justamente como as aves vêm para construir ninhos nos galhos da árvore [mostrar a folha grande], a mostardeira. 
Talvez tenha sido isso que Jesus quis dizer quando afirmou que o reino de Deus é como a semente [mostrar a semente] de mostarda.
Mas Ele também quis dizer que a história de Seu amor começaria com poucas pessoas. As pessoas que O conheceram quando Ele viveu na Terra eram como pequeninas sementes [mostrar a semente]. E ao falarem sobre Ele a outros, a planta [mostrar a folha pequena] crescia mais e mais. Cada vez que alguém partilha uma história da Bíblia ou fala para outras pessoas sobre o amor de Jesus por elas, a planta [mostrar a folha pequena] do amor de Deus fica ainda mais forte. Quando alguém que ama Jesus fala a outros sobre Ele, a planta [mostrar a folha pequena] se torna em uma árvore [mostrar a folha grande]. Mais e mais pessoas querem ouvir sobre Jesus, justamente como as pessoas desejam descansar à sombra fresquinha de uma árvore [mostrar a folha grande], e as aves a construírem ninhos em seus galhos. 
O que Jesus quis dizer quando falou que uma sementinha [mostrar a semente] é como o amor de Deus? 
Talvez Jesus quisesse dizer duas coisas. O amor de Deus é como uma sementinha [mostrar a semente] que cresce em seu coração cada vez que você aprende mais sobre Ele e Lhe pede todos os dias que entre em seu coração. E o reino de Deus se torna cada vez maior, todas as vezes que mais alguém aprende sobre Seu amor. Deus nos ama e nos ajuda a crescer para sermos mais semelhantes a Ele.
image

Futuro Revelado

Lição 9 Primários 27 de novembro de 2010

VERSO PARA DECORAR 
“Vocês sabem [...] que nenhuma das boas promessas que o Senhor, o seu Deus, lhes fez deixou de cumprir-se. [...] Nenhuma delas falhou.” Josué 23:14, NVI.
Resumo da Lição 
O Antigo Testamento registra as profecias sobre o nascimento de Jesus e Sua vida na Terra. 
O Novo Testamento registra o cumprimento dessas profecias. Por exemplo Miqueias 5:2 profetiza o lugar do nascimento de Jesus, e Mateus 2:1 registra o cumprimento. 
Isaías 52:13; 53:12 prediz Sua vida como Servo sofredor de Deus e da humanidade, e os quatro Evangelhos cumprem realmente o registro. O cumprimento dessas profecias assegura que Deus cumpre Sua palavra. 
Esta lição fala sobre graça. Muitas promessas das Escrituras descrevem eventos que estão no passado e já se cumpriram. Por isso, podemos ter certeza de que Deus cumpre Sua palavra. 
Quando dizemos que Jesus virá novamente, podemos crer nisso por causa das promessas cumpridas no passado.
Lição Bíblica 
Vivenciando a Lição 
Palavras: Ações: 
Promessa, promessas, erguer os desenhos que fizeram prometeu, prometido(A) no começo de nossa Escola Sabatina. 
[Dar tempo para respostas.] Vocês podem se lembrar De uma ocasião quando alguém quebrou uma promessa? [As crianças levantam os desenhos.] Os seres humanos frequentemente quebram promessas. [As crianças levantam os desenhos.] Mas Deus nunca quebra Suas promessas. [As crianças levantam os desenhos.] Ele sempre cumpre o que prometeu [As crianças levantam os desenhos.] e sempre o fará. 
Deus prometeu [As crianças levantam os desenhos.] aos judeus um rei que os salvaria e lhes traria paz (Miqueias 5:15). Ele lhes disse onde esse rei nasceria: Em Belém nasceria Aquele que seria “o governante sobre Israel! Suas origens estão no passado distante, em tempos antigos” (Miqueias 5:2). Esta promessa [As crianças levantam os desenhos.] foi feita 700 anos antes de realmente acontecer. 
Então, 700 anos mais tarde, um Bebê nasceu em Belém. O nascimento desse Bebê foi anunciado por anjos do Céu! Pessoas realmente ouviram, com os próprios ouvidos, os anjos darem a notícia. O Pai desse Bebê era Deus. Ele era definitivamente alguém cujas “origens estão no passado distante, em tempos antigos” (Miqueias 5:2, NVI). Ele era Emanuel, que significa “Deus conosco”. Ele salvaria “Seu povo dos seus pecados” (Mateus 1:20-23, NVI). Deus cumpre Suas promessas! [As crianças levantam os desenhos.] 
O profeta Miqueias disse que o prometido [As crianças levantam os desenhos.] governante seria pastor de Seu rebanho: “a grandeza dEle alcançará os confins da Terra” (Miqueias 5:4, NVI). Essa era uma emocionante promessa [As crianças levantam os desenhos.], pois os judeus tinham sido tratados como servos durante muitos anos. 
Apesar disso, quando Jesus ficou adulto, chamou a Si mesmo de o “bom pastor” que dá a vida pelas ovelhas (João 10:14, 15.). Deus cumpre Suas promessas! [As crianças levantam os desenhos.] 
Cristo morreu pelos pecados de todas as pessoas do mundo (1 Coríntios 15:3). Deus prometeu mais alguma coisa acerca de Jesus através dos profetas. Jesus sofreria e morreria para salvar 
Seu povo dos pecados deles (Isaías 53:5, 12). Isaías escreveu que Jesus Se familiarizaria com o sofrimento: “Ele [...] foi esmagado por causa de nossas iniquidades; [...] pelas Suas feridas fomos curados. [...] O Senhor fez cair sobre Ele a iniquidade de todos nós. [...] Pois Ele levou o pecado de muitos” (Isaías 53:5, 6, 12). Sim, Jesus realmente morreu para salvar você e eu. Deus cumpre 
Suas promessas! [As crianças levantam os desenhos.] 
Certo sábado, Jesus estava na sinagoga. Ele foi convidado para ler na Bíblia daquele tempo – os rolos ou pergaminhos. Jesus leu sobre uma promessa [As crianças levantam os desenhos.] 
de Isaías. Deus ungiria alguém para levar boas notícias aos pobres, proclamar liberdade aos prisioneiros e dar vista aos cegos (Isaías 61:1). Todos ouviram atentamente. Depois Jesus enrolou o pergaminho e o estendeu ao assistente e Se assentou para conduzir a parte de comentário do culto. Então, Ele anunciou: “Hoje se cumpriu a Escritura que vocês acabaram de ouvir” (Lucas 4:21, NVI). Ele estava claramente dizendo: “Eu sou a pessoa que foi prometida [As crianças levantam os desenhos.] a vocês. A promessa [As crianças levantam os desenhos.] se tornou 
realidade!” 
Agora no nosso tempo – o tempo do fim, estamos esperando o cumprimento da última promessa [As crianças levantam os desenhos.] de Deus. Promessa [As crianças levantam os desenhos.] 
dada pelos anjos justamente após Jesus ter voltado para o Céu. Você se lembra daquela promessa? [As crianças levantam os desenhos.] “Este mesmo Jesus, que dentre vocês foi elevado ao Céu, voltará da mesma forma como O viram subir” (Atos 1:11, NVI). O próprio Jesus disse: 
“Voltarei e os levarei para Mim, para que vocês estejam onde Eu estiver” (João 14:3). 
Todas as outras promessas [As crianças levantam os desenhos.] de Deus na Bíblia se cumpriram. 
E essa também se cumprirá. Cremos nesta promessa [As crianças levantam os desenhos.], pois Deus cumpre todas as Suas promessas! [As crianças levantam os desenhos.] Jesus virá novamente!
image

image

Maria, a Virgem

Lição 9 Juvenis 27 de novembro de 2010

Verso Para Memorizar 
“Desde o princípio Deus os escolheu para serem salvos mediante a obra santificadora do Espírito e a fé na verdade.” 2 Tessalonicenses 2:13.
Resumo da Lição 
O anjo Gabriel apareceu a Maria e anunciou que ela havia sido escolhida para ser a mãe do Messias. Maria aceitou esta responsabilidade e adorou o Senhor. Assim como Deus escolheu Maria para levar Jesus em seu ventre, Ele nos escolhe para levar as boas-novas de Seu amor ao mundo. 
Esta lição fala sobre adoração. Maria louvou a Deus e submeteu-se a Ele completamente. 
Da mesma forma que Maria escolheu entregar sua vida em adoração ao Salvador, nós também podemos escolher entregar nossa vida em adoração a Deus todos os dias.
Estudo da Lição 
Introduzindo a História Bíblica 
Cada um de nós foi escolhido por Deus e temos um papel importante em Seus planos. Hoje vamos aprender como Deus escolheu uma jovem chamada Maria para fazer parte de Seus planos de forma muito especial. 
Vivenciando a História 
Pedir a três de seus alunos mais extrovertidos que façam uma encenação da conversa entre Maria e o anjo Gabriel, e Maria e Isabel, usando gestos e expressões faciais, enquanto o restante da classe se reveza na leitura da história encontrada em Lucas 1:26-56.
Aplicação da Lição 
Situações da Vida Real 
Ler para a classe a situação a seguir: 
O diretor diz que quer falar com você na sala dele. “Ih! O que será que eu fiz?” você pensa enquanto se arrasta até lá. As palmas de suas mãos estão suadas, mas você relaxa um pouco quando todos na diretoria sorriem para você. Depois de cinco minutos de espera, a secretária do diretor o manda entrar na sala dele. Antes de fechar a porta atrás de você, ela sussurra: 
“Parabéns!” Antes que você tenha tempo de pensar no que ela quis dizer com aquilo, o diretor vem apertar sua mão. Ele o apresenta a uma mulher que lhe diz que você foi escolhido para 
representar sua escola numa campanha da cidade contra as drogas. Você terá que fazer um discurso para milhares de pessoas. Você sai da sala do diretor atordoado.
Partilhando a Lição 
Presenteando 
Com antecedência, fazer os arranjos necessários para que seus alunos possam ir a uma classe de Escola Sabatina de crianças menores. Cada um deve escolher uma criança para brincar (pode ser fazer um desenho, contar-lhe uma história, cantar uma música, etc.). Antes de sair, os alunos devem dar a cada criança um presentinho e retornar para a classe.

Salve-se Quem Puder!

Lição 9 dos Adolescentes 27 de novembro de 2010

Texto Bíblico: Apocalipse 18:1-14. 
Comentário: O Grande Conflito, capítulo 38. 
Verso Bíblico: Apocalipse 18:4, 5.
I. SINOPSE 
Desde a ordem de Deus a Adão e Eva, que os proibiu de comer do fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal (Gênesis 2:17), 
até a advertência proclamada em alta voz pelo anjo de Apocalipse 18, muita coisa aconteceu. 
Os conselhos de Deus foram ignorados por alguns, enquanto outros assumiram o dever de obedecer-lhes. A despeito do registro passado da obediência ou desdém da humanidade às ordens divinas, Apocalipse 18 revela o fim da paciência de Deus para com o pecado. 
O anjo que João viu em visão ilumina a Terra inteira com seu esplendor. A mensagem trazida por ele é semelhante à mensagem 
do segundo anjo de Apocalipse 14:6-13, que declara que o sistema mundial de confusão – Babilônia – caiu e despedaçou-se sem possibilidade de conserto. O anjo de Apocalipse 18 vai ainda além. Babilônia não apenas caiu, mas tornou-se “habitação de demônios e antro de todo espírito imundo, antro de toda ave impura e detestável” (verso 2) e os seres humanos estão presos nela. 
Os alunos precisam saber que a progressão de Apocalipse 14 a 18 descreve o estado terrível do mundo ao nos aproximarmos da volta de Cristo. Ao contrário das previsões humanas, o anjo de Apocalipse 18 declara que o mundo não se tornará melhor. A ver- 
dade, revelada por Jesus, será completamente rejeitada. A mente e o coração humano serão endurecidos pelo pecado, e aqueles que decidirem defender a verdade estarão sujeitos a terríveis privações – e até mesmo à morte – especialmente ao defenderem a verdade sobre a santidade do sábado de Deus. 
À medida que o mundo se aproximar cada vez mais de seu final, o Santo Espírito de Deus concederá poder especial para a proclamação da advertência final ao mundo, representada pelo anjo de Apocalipse 18. Os alunos precisam saber que Deus aguarda sua decisão. Hoje é o tempo de atender à advertência divina de sair do sistema mundial de confusão, renunciar ao pecado e preparar-se  para encontrar Jesus em paz.
Apresentando o Contexto e o Cenário 
Use as informações a seguir para elucidar alguns aspectos da história para seus alunos. 
Explique em suas próprias palavras. 
1. O Contexto. A compreensão de Apocalipse 18 torna-se mais fácil ao lermos Apocalipse 17. No capítulo 17, Babilônia é descrita 
como uma mulher vestida de azul e vermelho, segurando um cálice de ouro e montada numa besta. Apocalipse 18 acrescenta detalhes a essa descrição e transporta a narrativa para o período em que ela é julgada pelos prejuízos que causou ao mundo. 
2. Possessão Demoníaca. Muitos têm a tendência, em especial os jovens, de acreditar que a possessão demoníaca demonstra-se pelo espumar da boca, gritos agudos e outros fenômenos dessa espécie. Babilônia contraria essa ideia. O anjo descreve Babilônia como uma mulher sensual que atrai a humanidade com seus encantos e luxo excessivo. Isso não se parece nenhum pouco com a imagem de possessão demoníaca disseminada entre as pessoas. 
Apocalipse 18:2, porém, descreve Babilônia como habitação de demônios, local em que “espíritos imundos” chamam de lar. 
A imagem é de perversão e apostasia total, mas aqueles que estão envolvidos com ela não parecem perceber nada disso. Estão simplesmente desfrutando os prazeres de Babilônia. 
Apocalipse 18 é um capítulo muito importante, pois nele encontramos a descrição da verdadeira identidade do sistema mundial de corrupção e maldade. Deus deseja salvar o Seu povo da destruição de Babilônia. 
3. Paralelo Histórico. Leia Isaías 48:20; Jeremias 50:8; 51:6, 45. The Seventh-day Adventist Bible Commentary [O Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia] afirma que: “Assim como o povo de Deus no passado saiu da Babilônia literal a fim de retornarem para Jerusalém, o Seu povo hoje é chamado para sair da Babilônia mística a fim de serem achados dignos de entrar na Nova Jerusalém. 
Aparentemente, todos os que forem Seus verdadeiros seguidores ouvirão a Sua voz e atenderão ao Seu chamado” (v. 7, p. 861). 
4. Instrumentos Humildes. “Ao chegar o tempo para que ela seja dada com o máximo poder, o Senhor operará por meio de humildes instrumentos, dirigindo a mente dos que se consagram 
ao Seu serviço. Os obreiros serão antes qualificados pela unção de Seu Espírito do que pelo preparo das instituições de ensino. Homens de fé e oração serão constrangidos a sair com zelo santo, declarando as palavras que Deus lhes dá. Os pecados de Babilônia serão revelados. Os terríveis resultados da imposição das observâncias da igreja pela autoridade civil, as incursões do espiritismo, os furtivos mas rápidos progressos do poder papal – tudo será desmascarado.” – Ellen White, O Grande Conflito, p. 606.
Dicas Para um Ensino de Primeira Linha 
Adivinhem Quem Virá à Escola Sabatina Hoje? 
Para a lição desta semana, se possível, peça para alguém de sua igreja representar a mulher descrita em Apocalipse 17 e 18. A voluntária deverá vestir-se de azul e vermelho, adornar-se com joias, maquiagem e portar-se como alguém que quer chamar a atenção. 
Instrua a “convidada de honra” a entrar na classe sem revelar a identidade de seu personagem. 
Os alunos deverão adivinhar quem está representando baseados na forma como está vestida. Ao final, instrua a convidada a segurar um cartaz revelando a sua identidade – BABILÔNIA. 
Essa atividade tem como objetivo levar a classe a refletir e explorar o assunto em questão.

IDÉIAS - Para professores e pais

JUVENIS E ADOLESCENTES
Ser professor
clip_image002 O professor ensina um pouco por meio do que diz, um pouco mais por meio do que faz, mas muito mais pelo que é.
Ser professor é um dos maiores privilégios que podemos desfrutar, não só pela tarefa em si que realizamos com os alunos, como também porque, ao realizar esta obra, nos vinculamos mais intimamente com o Mestre por excelência, nosso Senhor Jesus Cristo. Para ressaltar este aspecto do ministério de Jesus podemos dizer que ele foi chamado de "Mestre" umas 60 vezes nas escrituras (raboni).
Enquanto esteve na terra, e ao despedir-se dos seus, Ele delegou poder e autoridade a seus seguidores para que continuassem este trabalho... Chegando este convite até cada um de nós.
A docência não é uma tarefa a mais no serviço cristão. Paulo menciona que ela é um dos requisitos que todo líder de igreja deve ter (1 Timóteo 3:2). A Bíblia também fala do dom ou ministério do ensino (Romanos 12:6, Efésios 4:11), dando especial importância à docência entre os demais ministérios.
Como mestres, devemos reconhecer e valorizar a influência que exercemos sobre nossos alunos. Diante deles, você e eu somos representantes de Jesus, e o que eles nos vêem fazer em relação aos outros e a Deus guiará, em grande parte, o destino de suas vidas.
O que se espera que o professor faça?
- Ler e estudar continuamente a Bíblia e outros textos complementares que o ajudem a crescer espiritualmente e, como conseqüência, a ser um melhor professor.
- Preparar sua lição cada semana dedicando o tempo necessário para que o que leia torne-se parte de sua própria vida.
- Estudar sobre as características evolutivas de seus alunos para que ao revisar os temas da classe possa adaptá-los às necessidades concretas deles.
- Chegar a tempo para cada classe e procurar que seus alunos façam o mesmo.
- Orar por seus alunos durante a semana.
- Visitá-los de vez em quando.
- Estimular a relação pessoal professor-aluno, já que esta é fundamental para que a mensagem seja bem recebida (não se trata só do que diz, mas também de quem diz).
clip_image004Como preparar a lição?
- Busque um lugar tranqüilo para estudar.
- Reúna todos os materiais necessários para não interromper o estudo que está realizando.
- Escolha para estudar uma hora do dia na qual sua mente esteja desperta.
- Ponha-se num lugar cômodo, tenha mesa, cadeira, suficiente ar e luz.
- Seja disciplinado. Não espere inspiração para estudar; faça-o como hábito para o Senhor.
- Prepare a lição com tempo. Estudar de última hora não é o ideal porque não nos permite que reflitamos profundamente sobre os conceitos.
- Alterne sua atividade. Leia a porção bíblica, ore pelos alunos, estude mapas e comentários, memorize o texto principal e pratique o uso do material visual ou das ilustrações.
Metas que o professor deve ter:
- Que o aluno aprenda a lição, que a entenda e a aplique.
- Que o aluno guarde as verdades bíblicas em sua mente e coração.
- Que a vida do aluno seja transformada como resultado do ensino.
- Que as necessidades espirituais do aluno encontrem resposta através das lições.
- Que o aluno chegue a ser investigador incansável da Palavra de Deus, buscando sempre aprofundar-se na verdade.
- Que o aluno chegue a tal nível de motivação que também seja um professor para outros.
- Que o aluno se sinta cômodo na classe, que seja parte do grupo.
O professor e sua experiência pessoal com Deus
Não se pode compartilhar experiências que não foram vividas. Teoricamente o professor pode explicar muitas coisas, mas somente pode impactar a vida de seus alunos quando respalda a teoria com experiências pessoais. Paulo podia afirmar: "Eu sei em quem tenho crido" (2 Timóteo 1:22). Essa firme fé no Senhor e sua Palavra deve caracterizar cada professor; não só na classe, diante de seus alunos, mas também cada dia da semana e em qualquer situação ou lugar.
O mais importante na vida do professor não é ensinar e sim aprender, e especialmente aprender de Jesus. É bom que conheça de pedagogia e trate de melhorar seus métodos de ensino, mas o primordial é que aprenda de Jesus, por meio de uma vida de íntima comunhão com Ele. Ele é o Mestre por excelência e, sem dúvida, ninguém nos pode ensinar melhor. Por isso é fundamental que o professor realize um estudo diário, ameno e profundo da Palavra de Deus.
Este estudo da Palavra deve ir lado a lado com a oração, já que por meio dela o professor fala com Deus, mas por meio da leitura da Palavra o professor oferece a Deus uma oportunidade de falar-lhe.
Existem também outras atividades que nos ajudarão a manter-nos fortes espiritualmente.
Alguns exemplos são:
- Vincular-nos de perto com outros irmãos da igreja (especialmente com outros professores) para estimular-nos mutuamente na fé.
- Compartilhar experiências pessoais com nossos alunos durante as classes pode ajudar-nos a estreitar nossa relação com nosso Pai.
- Visitar interessados ou crianças que não estão assistindo à igreja.
- Dar estudos bíblicos.
- Escutar cada sábado o sermão (ainda que seja pela internet).
- Procurar (com a ajuda do Céu) a restauração de nossos vínculos danificados.
- Ler a meditação matinal ou fazer um culto matinal antes de iniciar sua jornada diária (o ideal é participar do seminário das quarenta madrugadas para experimentar especiais encontros diários com nosso Deus).
- Fazer uma lista de oração com os nomes dos alunos de sua classe e orar por eles e suas famílias todas as semanas.
clip_image002- Estudar a lição da Escola Sabatina de adultos (muitas vezes não temos tempo de estudar ambas as lições, a nossa e a dos adolescentes, e optamos por ler somente a deles, prejudicando-nos em nossa espiritualidade pessoal).
- Realizar cultos familiares em nossas casas.
- Escutar com freqüência música religiosa que nos eleve a Deus e nos ajude a meditar nele.
- Incorporar a fórmula LCAP a nossas orações. Orar, incluindo as partes de Louvor, Confissão, Agradecimento e Pedidos faz com que as orações cumpram com o propósito de recordar-nos quem é Deus, quem somos nós e quanto dependemos de seu amor e perdão cotidianamente.
A título de encerramento, e como síntese do que expressamos até aqui, só nos resta dizer uma coisa mais, e é simplesmente OBRIGADO!
Obrigado (em nome de cada aluno que assiste à sua Escola Sabatina) por aceitar o desafio que lhe deixou o Mestre Jesus, ao pedir que você o siga e seja um pescador de homens... Obrigado por lançar cada semana às redes em seu nome!
clip_image004[4]MÃOS À OBRA
Como organizar sua classe
Missões
clip_image006Missão Haitiana
Projeto
- reconstrução de templos após o terremoto no Haiti
Adventistas no Haiti
O Haiti tem mais de 335.000 adventistas que adoram em 470 igrejas. Além de um hospital e da universidade, a igreja possui dezenas de escolas. Os líderes adventistas do Haiti informaram que o sismo de 12 de janeiro de 2010 custou à vida de 522 membros.
O terremoto destruiu 55 igrejas, 60 ficaram danificadas e 27.000 membros perderam seus lares.
Minutos missionários
Alguns membros de uma de nossas igrejas foram surpreendidos pelo sismo no momento em que estavam ensaiando com o coral. Se desejar que os alunos conheçam testemunhos das vítimas, entre em http://30demayo.wordpress.com/2010/03/05/haiti-miembros-de-coro-adventistas-reviven-las-experiencias-del-terremoto/. Se procurar em www.interamerica.org pode obter informações sobre a situação atual de nossos irmãos e igrejas, entrando em "serviços" e depois em "notícias". Se desejar, pode traduzir os comentários para o português.
Se tiver possibilidades de imprimir imagens, sugerimos buscar em http://de10.com.mx/wdetalle5277.html porque neste endereço aparecem fotos de alguns edifícios emblemáticos do Haiti antes e depois do terremoto. As imagens falam por si e são bastante cruas para motivar as crianças a colaborar com as ofertas.
Se a igreja dispõe de um notebook, sugerimos que mostre as imagens do Youtube (procure por "terremoto de Haiti" ou "Haiti antes e depois do terremoto").
Outro endereço interessante é http://www.youtube.com/watch?v=8G0cGtL442Y porque ali aparece um vídeo que mostra as mudanças que se produziram nos edifícios e a vista por satélite de Porto Príncipe. Lembre-se também de que para os minutos missionários você conta com o mapa correspondente ao 4º trimestre, que seguramente será útil para identificar com clareza a localização deste país.
ADRA no Haiti
Se procurar em http://www.aacentral.org/index.php/adra-mainmenu-109/adra-internacional-mainmenu-112/367.html poderá encontrar imagens dos acampamentos de refugiados que a igreja tem. Na contracapa deste número encontrará, além disso, uma carta de Patrícia Müller (voluntária da ADRA argentina) na qual descreve sua impactante experiência no Haiti.
Não deixe de ler para os alunos!
Características gerais do país para onde vão as ofertas
O Haiti tem uma longa história de pobreza e instabilidade política desde que ficou independente da França em 1804 por meio de uma rebelião de escravos. Sete em cada 10 habitantes são pobres. Mais de 70% dos haitianos vivem com menos de dois dólares diários, enquanto o resto da população vive com menos de um dólar. O país está na posição 150 entre 177 países no ranking do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). Apenas 52,9% da população são alfabetizadas.
A expectativa de vida do haitiano não é maior do que 60 anos devido, entre outras coisas, a que somente três em cada 10 pessoas têm acesso ao sistema de saúde. A AIDS também impacta. Estima-se que 2,2% da população adulta viva com HIV/AIDS, o que coloca o Haiti entre os 30 países com maior incidência no mundo. O Haiti depende da importação de alimentos. De fato, a produção própria serve para abastecer apenas 46% das necessidades.
Outro dos sérios problemas sociais do Haiti é a desigualdade. A brecha entre a maioria negra empobrecida (cuja língua é o crioulo) e os mulatos francófonos é enorme, já que 1% destes últimos são donos de quase metade das riquezas. A pobreza é extrema em grande parte da população, tanto que suas entradas não são suficientes nem para adquirir um pouco de arroz ou outros alimentos básicos. Por isso muitos se alimentam com uma espécie de biscoitos feitos de lodo (barro), manteiga vegetal e sal, que é vendida a um preço baixo, gerando seqüelas de desnutrição e outros problemas físicos.
O catolicismo é a religião professada pela maioria dos haitianos. Entretanto, nos últimos anos muitos têm se convertido ao protestantismo. É preciso destacar que também existe um setor que pratica o vodu, sem renunciar à sua fé cristã.
O idioma oficial é o francês e o segundo idioma é o crioulo haitiano (língua à base do francês que contém influências africanas e muito vocabulário espanhol).
A freqüência dos desastres naturais faz com que a ajuda recebida mundialmente se dirija a operações de ajuda humanitária e não para resolver situações de fundo.
Para ter uma idéia dos desastres dos últimos anos, diremos que o Haiti sofreu o furacão Gordon em 1994, o furacão Georges e a tormenta tropical Jeanne, em 1996. Também sofreu o furacão Dennos em 2005 e em 2007 a tormenta tropical Noel. Em 2008 apareceram a tormenta tropical Fay, o furacão Gustav, a tormenta tropical Hanna e o furacão Ike.
clip_image002[4]À já deprimida situação econômica soma-se agora os problemas criados pelo terremoto de 12 de janeiro, cujo custo econômico será muito maior que as perdas ocasionadas pelas sucessivas tormentas e furacões prévios.
O abalo de 7 graus na escala Richter deixou um saldo estimado de 200 mil mortos e 3,5 milhões de atingidos.
Edifícios emblemáticos, como o Palácio Presidencial, a Catedral, o Arcebispado, o Parlamento, vários Ministérios e a sede da ONU vieram abaixo com o sismo. Mas também caíram milhares de vivendas, lojas, escolas, hospitais, igrejas, hotéis e outras instalações em Porto Príncipe e nos centros urbanos de Jacmel, Carrefour e Leogane.
"É como se o país tivesse sido bombardeado por 15 dias", declarou o presidente haitiano René Preval, cuja residência também caiu.
Os dados apresentados foram extraídos de: http://es.wikipedia.org/wiki/Terremoto_de_Haití
Visitas
Para receber as visitas temos o material produzido pela tia Helenita que pode ser adquirido pelo site:www.tiahelenita.com.br
Decoração
Se parecer oportuno, neste trimestre pode decorar o salão com o fundo de papel (1 x 0,7 m, art. 3067) em que aparece Jesus com um adolescente.
Verso áureo
Pode montar um setor do salão dedicado ao verso áureo. Uma idéia que sugerimos pode ser colocar uma prancha grande de isopor com muitas letras que sirvam para que após cada lição, se repasse o versículo ordenando as letras que o formam. Estas atividades podem ser feitas entre todos (se forem poucos).
“Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor; assim como tenho guardado os mandamentos de meu Pai e permaneço em seu amor.” João 15:10
“Lâmpada para os meus pés é a tua palavra, e luz para o meu caminho.” Salmos 119:105.
Receptor de ofertas
Pode forrar uma caixinha com as cores da bandeira do Haiti, colocar slogans como "SOS Haiti", "Uma mão para o Haiti", "Ajuda para o Haiti", "Esperança na dor para o Haiti", etc. esta caixinha pode ficar num lugar visível do salão e servir como parte da decoração.
Carta do Haiti
“Queridos familiares e amigos:
Hoje faz um mês que aconteceu o terremoto. As autoridades do país pediram ao povo um fim de semana de jejum e oração. Pediu que onde estiverem façam uma pausa e elevem uma prece a Deus por este povo tão sofrido e ao mesmo tempo tão maravilhoso. Tenho tantas coisas para contar, que não sei por onde começar... Doze escritórios da ADRA em todo o mundo (inclusive da Argentina) enviaram pessoal para colaborar neste programa.
clip_image003O acampamento vai tomando um pouco de ordem e forma. Não é fácil quando se tem tantas pessoas em condições precárias num lugar onde os muros caíram e entram e saem pessoas de diferentes lugares. A distribuição de alimentos e outros implementos é um desafio, porque as pessoas vêem chegar os caminhões e os que estão fora do acampamento selançam para conseguir o que puderem. Não os julgo porque muitos deles andam pelas ruas tratando de conseguir o que podem entre as montanhas de lixo que se amontoam nas esquinas.
A ADRA está realizando um trabalho titânico em todos os aspectos; uma vez mais me sinto feliz e agradecida a Deus por fazer parte desta equipe. Todos os dias se distribuem na região de Carrefour milhares de quilos de alimentos fora do acampamento onde eu estou trabalhando. Cem voluntários estão trabalhando desde cedo de manhã até tarde para distribuir estes alimentos que chegam por meio do Programa Mundial de Alimentos (WFP) cada dia, em caminhões custeados pelos Marines e pela polícia das Nações Unidas.
Todos os sobreviventes têm alguma história desoladora para contar e somente agora estão se animando a tocar no assunto. Como uma jovem que hoje me disse: "amanhã, quando completar um mês, vou chorar; até agora não tive tempo".
Por causa de todo este caos, o inimigo trata de aprofundar a dor. Por este motivo todos os organismos que trabalham com as crianças (no meu caso em particular com o programa de apoio emocional) fomos comissionados pela UNICEF para identificar os menores não acompanhados que vivem nos acampamentos. Para isto fizemos um censo e hoje, quando estava passando os dados recolhidos entre o nosso pessoal, me dei conta do número importante de crianças cujos pais morreram ou estão desaparecidos, que vivem com algum vizinho, amigo ou parente distante. Não são só números: conheço seus rostos e sorrisos, brinquei com eles. Nossa missão é protegê-los de traficantes de todo tipo que se apresentam disfarçados de benfeitores.
Há pouco voltei de um evento que parecia proveniente de uma ficção.
No acampamento de refugiados que a ADRA está atendendo, realizou-se um casamento. Eu disse um? Foram dez ao mesmo tempo! Não pudemos evitar a emoção, porque entre tanta sujeira, fedor e precariedade, as dez noivas passaram com seus impecáveis vestidos brancos junto aos futuros esposos, de estrito traje com uma luva branca (não faço idéia de por que usam só uma luva), para receber a bênção de Deus. A multidão aplaudia e gritava quando cada um dos casais passava debaixo do arco de flores para ocupar seus lugares. Na véspera do primeiro mês do terremoto se animavam a celebrar o amor e o compromisso mostrando que a vida deve continuar. Que experiência inesquecível!
clip_image005Quero terminar esta carta compartilhando uma vivência. Estava indo ao centro de bem-estar que havíamos implementado (uma tenda onde as crianças podem ir brincar, os adultos receber apoio emocional ou simplesmente conversar) quando senti que alguém tocava minha mão. Me virei e era um pequeno e bonito menino que me queria mostrar algo. Tinha em suas mãos o brinquedo mais lindo e simbólico que já vi: um carrinho feito por ele mesmo, com uma garrafa de plástico. As rodas estavam feitas com tampas de garrafas, os eixos com palitos e tinha um desenho especial para colocar pedrinhas dentro. Seus olhinhos brilhavam de orgulho por sua obra prima. Quanto significado tem para mim este objeto! Construído com o que restou da catástrofe, com criatividade e engenho, buscando a forma de desfrutar do direito básico e fundamental que toda criança tem: brincar.
Cada dia volto a comprovar o espírito do povo haitiano: recomeçar com o que ficou, remontar suas vidas com os pedaços que não se destruíram e tratar de desfrutar cada instante de estar vivos.
clip_image007Peço a todos que colaborem com esta gigantesca necessidade, com pouco ou com muito, com suas orações e com seus recursos. Já passou um mês, mas nas ruas parece que o tempo parou em 12 de janeiro de 2010.
Um forte abraço e que Deus abençoe muitíssimo.”
Prof. Patricia Muller - Instrutora de ADRA- Argentina, convocada pela ADRA Internacional para colaborar com esta emergência.
JUVENIS
clip_image009Se houver algum professor novo, queremos contar que as lições de Juvenis estão organizadas em diferentes seções intituladas Elos da Graça.
Entendemos que a graça de Deus é o poder divino ilimitado, seguro e inesgotável que nos encontra, nos perdoa, nos liberta e nos enche de tudo o que precisamos para viver uma vida plena e extraordinária de serviço e adoração. Por isso, as lições aparecem em nossos manuais agrupadas em: Serviço, Adoração, Comunidade e Graça em Ação.
Sugestões para a recapitulação
Divida os alunos em dois grupos e diga que lhes dará umas perguntas que eles têm que responder em certa ordem. Cada vez que alguém responder corretamente, a equipe avança um passo até a meta de um tabuleiro (tipo corrida) que você confeccionará, ou então somará um ponto para seu grupo. Cada vez que alguém responder mal, dão um passo para trás ou perdem um pouco. Continuem jogando até que não haja mais perguntas ou até que alguém chegue à linha. Os que chegarem à linha primeiro ou somem mais pontos podem receber alguma recompensa ou ter algum tipo de benefício por conhecer melhor a lição.
ADOLESCENTES
Quanto aos conteúdos específicos de cada lição, neste trimestre estudaremos:
1. Conhece a ti mesmo, conhece a Deus. Quando conhecemos a nós mesmos, e à pessoa em que nos convertemos graças à obra de Cristo em nós, somos capazes de transformar nossas vidas em dons para os demais.
2. A porta se fecha, os livros se abrem. Deus declarará "não culpado" todo aquele que confessar seus pecados e reclamar o sangue de Cristo para sua vida. Agora é o momento de tomar esta decisão.
3. A "síndrome". Um dos maiores mistérios da história humana tem a ver com a compreensão da origem do mal. Conhecer a Deus nos ajuda neste aspecto.
4. Entre anjos e demônios Como se revela o poder de Deus sobre o mal e a favor de seu povo nos dias que estamos vivendo?
5. Beleza falsa. É realmente importante o que compreendamos sobre a morte? Veja o que diz Deus acerca disso.
6. O poder põe a perder. Como podemos nós, os adventistas, viver e dar uma mensagem de convicção inquebrantável para esta geração corrupta?
7. O pior terrorista do mundo. Satanás lançou um ataque terrorista de grande escala, com o propósito de destruir a maior quantidade possível de pessoas.
8. Descubramos novas disciplinas. O que estamos dispostos a fazer para ter uma relação duradoura e significativa com Deus?
9. Escapa por tua vida. À medida que o mundo se submerge cada vez mais profundamente no perigo, as boas notícias são que o Espírito Santo de Deus nos dará poder especial para proclamar sua mensagem ao mundo.
10. O tempo de angústia. Embora se avizinhem tempos difíceis, Deus prometeu que seus seguidores fiéis resistirão até o final.
11. O fim do mundo como o conhecemos. Muito freqüentemente nos centramos nas dificuldades do tempo do fim e nos esquecemos de fazê-lo baseando-nos no poder de Deus para livrar-nos.
12. Limpeza e conta nova. A imagem de Deus destruindo os maus não é das mais agradáveis. Mas teremos a oportunidade de perguntar e saber por que Deus fez o que fez.
13. Edição celestial da transformação extrema. Um dia o grande conflito entre Deus e Satanás terminará. A terra será feita nova e veremos o nosso Criador face a face.
Sugestões
A lição geral tem como título “Um livro aberto”, por isso podemos fazer um livro para cada aluno, dizendo que cada um deles representará "um livro aberto". Para montar os livros podem usar um caderno comum ou capas de cartão forradas colocando anéis (como nas pastas artísticas).
A capa do livro será decorada pelo dono a seu gosto, com seu nome, fotos, frases que eles queiram colocar, etc. No sábado anterior ao começo do trimestre pode dar-lhes a indicação de que para o sábado seguinte tragam fotos, tesouras e revistas que se possam recortar para decorar seus livros. Você pode levar elementos como: colas, lapiseiras, canetinhas, etc.
Dentro do livro serão colocadas folhas onde cada sábado se trabalhará com o tema da lição. A idéia é que esteja escrita a primeira parte de uma oração a Deus com palavras referidas ao tema da semana, deixando espaço para que os alunos possam completar esta oração com suas palavras, com o fim de estimulá-los a tomar uma decisão a respeito do que aprenderam nesta lição. Por exemplo:
Lição 1: "Querido Pai Celestial, obrigado porque mediante tua Palavra vemos que és um Deus de vitórias; ajuda-me a conhecer-me e a conhecer-te para... (Espaço para que cada aluno complete sua oração)".
Lição 2: "Pai nosso, obrigado porque és um Deus justo e misericordioso, hoje oro porque quero o perdão que nos prometeste através do sangue de Cristo. Quero confessar-te..."
SOMOS FAMÍLIA
A espiritualidade do adolescente
A adolescência é uma etapa de grandes mudanças e decisões. A mais importante delas é, sem dúvida, a decisão espiritual, já que ela será a que definirá como se tomarão as demais decisões.
James Fowler é um pesquisador contemporâneo que publicou vários trabalhos sobre o desenvolvimento da fé. Em sua obra “Stages of Faith: The Psychology of Human Development and The Quest for meaning” (Etapas da fé: a psicologia do desenvolvimento humano e a busca de sentido) ele afirma que todos os indivíduos passam por diferentes etapas em sua fé, tal como ocorre com o desenvolvimento intelectual ou moral.
Neste artigo faremos uma síntese destas etapas ou passos, enfatizando especialmente o momento que corresponde aos nossos alunos da classe.
Etapas do desenvolvimento da fé
- A fé intuitivo-projetiva (dos 3 aos 7 anos). Nesta etapa a fé se baseia na fantasia, na imaginação; não usa a lógica, pois a percepção é dominante. As crianças obtêm dos adultos suas idéias acerca de Deus e da religião. Assim vão configurando sua fé de uma forma totalmente intuitiva, enquanto observam e escutam seus pais, que são os adultos que, na maioria dos casos, mais influência exercem sobre eles nesta fase da vida.
Em geral suas primeiras idéias acerca da divindade são constituídas quando projetam sobre Deus suas impressões ou seu conceito que vai se formando de seus pais.
- A fé mítico-literal (dos 8 aos 11 anos). Nesta idade começam a descobrir o mundo que os rodeia e a diferenciar entre a fantasia e a realidade. Esta mudança se deve a que começam a desenvolver a capacidade de pensar de forma lógica e concreta. Entretanto, nesta etapa, as crianças avançam e retrocedem entre o pensamento abstrato e o concreto. As crenças e os símbolos são tomados literalmente; desta maneira conseguem diferenciar os fatos da fantasia. A fé pode dar-lhes um senso de segurança ante as incertezas que vão descobrindo no mundo real. Aceitam sem questionar a herança espiritual que a família lhes deixou.
- A fé convencional e de síntese (adolescência). O mundo do adolescente se estende muito mais além dos limites da família, já que ele se encontra imerso num processo de descoberta do mundo que o rodeia, como são os amigos, a escola, o trabalho, o grupo de jovens da igreja, algum time esportivo ao qual pertença e os meios de comunicação de massa.
Esta situação fará com que o adolescente deva enfrentar o desafio de ter que encaixar a fé que herdou de sua família nas novas realidades que vá descobrindo ao seu redor.
A afirmação "fé de síntese" significa que o adolescente vai moldando suas crenças por suas relações interpessoais com outros indivíduos. O processo em que se encontra o obriga a encontrar um equilíbrio entre suas próprias crenças e as das outras pessoas, que podem, perfeitamente, ser diferentes e inclusive incompatíveis com sua própria fé.
Esta busca de equilíbrio lhe gera muita tensão e, diante desta última, alguns adolescentes cedem à tentação de adotar uma atitude conformista e sofrer de crenças, avaliações e percepções autônomas e independentes, para assim sustentar-se e agarrar-se às das pessoas ao seu redor que são significativas para eles. Isso acontece por duas razões:
* O adolescente está disposto a renunciar às próprias convicções para não ser recusado ou entrar em conflito com seu grupo. Nesta idade o grupo de amigos é altamente significativo e, portanto, suas opiniões também.
* A segunda razão tem a ver com sua identidade, que ainda não está suficientemente moldada, e se encontra em construção, por isso é possível que as crenças e convicções próprias estejam ainda em fase de amadurecimento.
Mas também se trata de uma fé convencional, no sentido de que o adolescente a molda pelas características das pessoas com que se relacionam num momento determinado. Por isso, o grande perigo desta etapa é que eles se acomodem a uma fé de segunda mão, que não seja própria nem pessoal, que simplesmente a aceitam da família de outras pessoas, sem apropriar-se dela.
- A fé indutiva-reflexiva (adolescência tardia). Conforme vai desenvolvendo sua identidade, e suas decisões entram em conflito com o ambiente que o rodeia, o jovem começa a diferenciar-se das demais pessoas e do sistema de valores de outros. Com esta autonomia inicial desenvolve seus próprios valores, crenças e convicções.
Um indivíduo entra nesta etapa quando assume a responsabilidade das suas próprias ações, atitudes e valores, e é assim que consegue desenvolver uma fé de primeira mão. Trata-se de uma fé individual, pois falamos de uma fé própria, que o próprio individuo chegou a construir.
Também é pensada como uma fé reflexiva no sentido de que a pessoa que passa da etapa anterior para esta tomou tempo para refletir acerca do que realmente crê.
- A fé conjuntiva (meia vida). Nesta etapa o indivíduo reconhece pensamento, impulsos, sentimentos e memórias que negou previamente.
No estado anterior o indivíduo aprende a fixar os limites que distinguem a ele como diferente do seu mundo. Neste, a fé é conjuntiva, no sentido de que é mais ampla e permite a existência de contradições e ironias, sejam reais ou aparentes. Isto se deve a que o conceito de absoluto, embora possa parecer um paradoxo, se relativiza.
- A fé generalizadora (velhice). Poucos chegam a este estágio, mas quando acontece, o indivíduo produz um impacto significativo na sociedade. Os que chegam até aqui costumam ser pessoas com um compromisso absoluto com a causa de universalizar os conceitos de amor incondicional e justiça absoluta.
Alguns estudiosos do tema afirmam que as experiências de relações e diálogos informais (em lugar da instrução teórica ou formal) são o melhor caminho para nutrir a fé dos adolescentes. Entender o processo de desenvolvimento da fé nas crianças e adolescentes pode servir-nos de grande ajuda para compreendê-los, sustentá-los e guiá-los ao conhecimento de Jesus como seu Senhor e Salvador pessoal.
Os líderes de adolescentes devem esforçar-se por ser emocionalmente significativos para eles. Isto será a porta que lhes abrirá o coração dos alunos e alunas.
Todos os estudos e todas as teorias sobre o desenvolvimento da fé coincidem no fato de que a adolescência é o tempo no qual a fé é questionada, mas o questionamento pode ser um indicador de que a fé está num processo de crescimento e amadurecimento.
A forma como os líderes e pais respondem a esta mudança é muito importante. Se criticam, repreendem ou julgam, cortarão todo o tipo de comunicação com os adolescentes. Se expressam ansiedade, projetarão sobre os adolescentes a idéia de que sua fé é fraca e não pode suportar uma grande provação. Se respondem de forma aberta, expressando amor e aceitação incondicional, sem nenhum tipo de condenação, os adolescentes crescerão aceitando as duas como parte normal do desenvolvimento. Isto os ajudará a expressar seus questionamentos com confiança e nos servirá para conhecer suas lutas e poder apoiá-los com a ajuda de nosso Deus.
REPRESENTAÇÃO
clip_image011O Nascimento de Jesus
Com motivo do natal, trazemos a proposta de uma breve representação que pode ser realizada totalmente por seus alunos. Os materiais que precisará para o cenário e vestuário são:
- Um boneco (bebê)
- Pequeno cesto em que caiba o bebê.
- Pedaço de tecido para cobrir o bebê.
- 3 caixas de sapatos pequenas, decoradas como os tesouros dos reis magos.
- Moedas de chocolate, duas bolsas de pot-pourri (jarra com uma mistura de pétalas de flores secas e especiarias utilizadas para perfumar o ar), perfumes, ou algum outro objeto que represente incenso e mirra.
- Travesseiro pequeno para que Maria apareça grávida
- 3 peças de papelão para usar como portas para as pousadas
- 3 camisas azuis e grandes para usar com os reis magos
- 4 camisas brancas e grandes para usar com os anjos
- 3 ou 4 camisas de diferentes cores e grandes para usar com os pastores e o narrador
- 2 camisas beges grandes para José e Maria
- Uma área que seja o estábulo (pode ser rodeado por luzes brancas e aceso quando cheguem os reis e os pastores).
- Uma grande estrela de papelão forrada com papel alumínio.
Primeira cena (fora da cidade)
(Entra o narrador).
Narrador:_ ‘’Ouçam, ouçam! Saibam todos que por ordem de César Augusto haverá um recenseamento. Todos devem ser alistados e voltar às suas cidades de origem.
(Sai o narrador, e José e Maria grávida, entram)
José: Maria, sei que você logo terá o bebê, mas devemos ir a Belém por causa do recenseamento.
Maria: Sim, José. Creio que posso viajar e sei que o Senhor estará conosco nesta viagem.”
(José e Maria começam sua viagem. E caminhando até a primeira pousada, batem na porta. Os donos estão atrás das portas.
Primeiro dono (quando batem a porta):_” Sim?”
José:_ “ Estivemos viajando por muito tempo, tem algum lugar para nós?”
Primeiro dono:_ “ Sinto muito, mas não há mais espaço aqui. Tentem na próxima pousada.”
(José e Maria caminham à seguinte pousada e batem na porta)
Segundo dono (quando batem à porta):_ “ Sinto muito, se estão procurando um lugar para ficar, estamos totalmente ocupados. Tentem na próxima pousada.”
(José e Maria caminham até a pousada. Estão quase chegando à porta quando sai o proprietário)
Terceiro dono:_ “ Incrível! Este lugar está quase cheio de parede a parede. (Olha para Maria com compaixão) Não acho que vocês encontrarão um quarto nesta cidade. Mas vocês também não devem seguir viajando tão tarde da noite. Se não se importarem, talvez possam descansar ali atrás no meu estábulo. Não é o lugar mais cômodo, mas pelo menos terão um teto sobre suas cabeças. E os animais são maravilhosos, não vão incomodar.”
José:_ “ Minha esposa deve descansar. O estábulo vai ser bom para nós.”
Terceiro dono:_ “ Muito bem, então sigam-me.”
(O proprietário leva José e Maria ao estábulo. Depois todos os donos de pousadas saem)
Segunda cena (no estábulo)
(José ajuda Maria a sentar-se no piso, depois começa a preparar uma cama)
José:_ “ Sei que Deus está conosco. É muito melhor dormir aqui do que lá fora.”
Maria:_ “José, eu não estou me sentindo bem. Estou muito cansada e estou sentindo dor. Acho que já está no tempo de nascer o bebê.”
José:_ “ Por favor, Maria, descanse nesta cama que eu te preparei.”
Terceira cena (um campo)
(Entra o narrador)
Narrador:_Neste mesmo tempo, alguns pastores estavam cuidando de seus rebanhos quando de repente um anjo lhes apareceu.
(Entram os anjos. Enquanto um anjo fala, Maria envolve o bebê no tecido e o deita na manjedoura)
Primeiro anjo:_ “ Trago boas novas de grande alegria. Hoje na cidade de Davi nasceu o Salvador, que é Cristo, o Senhor. E isto lhes servirá de sinal: encontrarão um menino envolto em panos e deitado numa manjedoura.”
Os três anjos:_ “ Glória a Deus nas alturas e na terra paz aos que gozam de sua boa vontade!”
Primeiro pastor:_ “ Vamos a Belém para ver o que o Senhor nos revelou!”
Segundo pastor:_ “ Vamos contar aos nossos amigos e depois vamos todos juntos! Glória a Deus por estas boas novas. Vamos, é uma viagem longa.”
Narrador:_ E os pastores, depois de ouvir os anjos, foram ver o bebê. Um tempo depois alguns reis magos viram uma estrela brilhante no céu.
clip_image013(Sai o narrador e entram os reis magos. A estrela é vista)
Primeiro rei: (apontando a estrela)_ “ Vejam, uma estrela! Vejam como é brilhante!”
(Os outros dois reis olham para a estrela)
Segundo rei:_ “ É o sinal. Maravilhoso sinal! O rei dos judeus nasceu.”
Terceiro rei:_ “ Vamos adorá-lo. Presentes, precisamos de presentes!”
Primeiro rei: _ “Já sei o que posso dar. Eu vou dar ouro, porque ele é de família real.”
Segundo rei:_ “ Meu presente será especial: eu vou dar mirra.”
Terceiro rei:_ “Incenso será o meu presente. Ponhamos os presentes em caixas especiais, porque ele é rei.”
(Os três magos colocam seus presentes em caixas de tesouros. O narrador entra. Os reis caminham até o estábulo enquanto vêem a estrela. Maria toma a criança e a põe em seus braços)
Quarta cena (No estábulo)
(Entra o narrador)
Narrador:_Os reis magos encontraram a seu rei seguindo a estrela. E quando chegaram, prostraram-se e adoraram a seu rei e ofereceram seus presentes.
(Os reis magos colocam seus presentes diante de Maria e depois se prostram. Entram os anjos)
Anjos:_ “ Glória a Deus nas alturas e Paz na terra! “
Fonte:http://www.apo.org.br/new/apoD/RedirectPageDownload.asp?id=385

sábado, 27 de novembro de 2010

O verdadeiro significado do Natal


Encontrei esses slides lindos que retratam o verdadeiro significado da palavra Natal, deixo aqui para compartilhar com vocês não sei quem é o autor, mas acredito que é uma pessoa inspirada.







Fonte:http://realizandoaobradosenhor.blogspot.com

Vela com foto




Colocar fotos e gravuras nas velas é fácil.
A maior preocupação é posicionar a foto bem na superfície da vela para que fique bem visível, mas que fique integrada a vela.
No início, o artesão colava a gravura no lado externo (como decoupage).
É também uma técnica que pode ser usada, mas que deixa marcas do contorno da gravura na vela.
Esta receita ensina uma técnica simples de fazer Lanternas sem usar piloto e com fotos ou gravuras integradas no corpo da lanterna.
A técnica de Foto pode ser aplicada em todos os formatos e tipos de velas, pois os passos são iguais para todas.
Exemplos e Aplicações:

Seu visual e efeitos ao acender encantam a todos. Em uma mesa de um jantar noturno, na sala de estar, no escritório ou vitrine, esta vela quando está acesa produz uma atração mágica.
O método de fazer é sempre o mesmo (rápido e simples), ficando por conta da sua imaginação como enfeitar.
Com uma vela piloto acessa dentro da luminária no escuro, a foto se ilumina e fica bonita no escuro !!!


Algumas sugestões para enfeitar:

- Fotos coloridas ou Preto e Branco
- Ideogramas chineses ou japoneses
- Figuras Esotéricas
- Figuras de datas festivas (Natal, Páscoa, Dia Mães...)

Vamos fazer?
Lista das Matérias Primas:
• Parafina Plus ou Plus especial para lanternas
• Corantes a base de óleo
• Essências a base de óleo ou Multi uso a gosto
• Fotos ou Gravuras
Lista de Utensílios:
• Kit Banho Maria
• Assadeira chata
• Balde grande de plástico
• Pincel ou pano
• Desmoldante
• Estilete ou faca de ponta
• Formas de metal ou
• Forma Lanterna nº 5

Prepare a Foto:


1. Você pode imprimir na sua impressora e recortar.

Dicas:

• Use papel branco (ou da mesma cor da vela)
• Use papel com espessura normal A4 ou Oficio para impressoras), o papel muito grosso não deixa passar a luz.
• Evite o papel fotográfico, pois é espesso e opaco.
• Você pode recortar a foto sem contorno ou
• Recorte delicadamente o contorno da foto.

Esta maneira dá mais trabalho mas fica muito mais bonita, pois a imagem aparece e se destaca mais na Luminária ou vela comum.
2. Posicione a forma que será a lanterna, ao lado do balde e coloque água no balde até mais ou menos a metade da forma.
O uso do balde é para acelerar o resfriamento da parafina formando as paredes da lanterna.

Dicas:
- Faça uma alça de arame para manusear a forma com segurança
- coloque um peso no forma para não boiar na água (ex: corrente)
- Derreta a parafina em Banho Maria.

Veja os passos detalhados em "Aprenda o Básico".
• Derreter parafina ou gel e em como colorir........

Recomendamos não colocar a essência nesta fase, pois o perfume estará no refil. Assim você pode trocar o aroma conforme desejar.

Cor da Lanterna:
Normalmente não usa-se colorir a lanterna, mas se quiser, pode dar um leve toque colorido (azul claro, rosa claro...)

Lembrando que o charme da lanterna é a sua translucides, onde os objetos e enfeites ficam em destaque.
3. Derrame a parafina na forma.

A temperatura da parafina deve ser quente (+- 80º)

Dicas:
Despeje a parafina no centro da forma e quase até a boca.
Bata com a palma da mão levemente em toda a volta, para que as bolhas de ar subam e a parafina fique bem lisa.
Espere 2 minutos e repita as batidas.

opções:Você pode usar uma forma furada: Vede bem o furo por fora.
Dependendo da qualidade da forma, antes passe o desmoldante em todo o interior da forma e retire o excesso com papel toalha.
Posicionando a Foto:

4. Submergir a foto na parafina.
Afunde inteiramente a foto para que absorva um pouco de parafina e saiam as bolhas de ar.

Dicas:

Se preferir, use uma pinça para proteger as mãos.
Se a foto ainda tiver bolhas de ar, mexa para frente e para trás, dentro da parafina até ficar bem lisinha.
5. Ache a melhor posição para a foto:

Dicas:
Com a pinça, bastão ou vareta procure o melhor local onde você acha que a foto ficará. Veja se a altura está em equilíbrio.
A figura deve ficar voltada para fora, ou seja, a foto ficará de frente para a forma, lembrando que quando desenformar, vai ficar visível no lado externo da lanterna.
Bata levemente com a palma da mão para que eventuais bolhas de ar subam e deixem a parafina bem transparente.
6. Fixe bem a foto na forma.


Dicas:
Use uma colher de pau ou uma espátula plástica para encostar bem toda a foto na parede interna.

Importante:
Aqueça levemente a colher de pau ou espátula na própria parafina da forma para evitar que a foto fique grudada na colher e rasgue.
Como colar a Foto:

Obs: os passos 7 e 8 podem ser usados também para fazer lanternas com folhas, flores, ideogramas e objetos leves e chatos.
O método de fixar os enfeites é sempre o mesmo e pode ser usado para fazer vários tipos de Lanternas.
Use a sua imaginação e crie lindos modelos

7. Colar a foto na forma com a própria parafina.

Segredo: Com a foto no lugar, encoste um pano molhado com água fria no lado externo da forma.

Dicas:
Use a colher de pau para manter a foto posicionada e passe levemente em todo o papel para que fique bem grudado na forma.
como funciona? O pano molhado vai absorver o calor da parede da forma e a parafina nesta região vai se solidificar, colando a foto.
O interessante é que formará uma película fina de parafina entre a foto e a forma, o que dará a uniformidade da foto na lanterna.
Assim ao desenformar, a foto fica embutida na lanterna.
8. Continue esfriando até formar uma camada branca em volta da foto.
Este processo é muito rápido e fácil.

Dicas:
Se necessário troque o pano por outro pano molhado com água bem fria. Assim a colagem será mais rápida.
Pronto. A foto ou enfeite já está fixado.

Fazendo a Lanterna sem Piloto
Aqui mostramos com destaque os passos e dicas para fazer a lanterna sem usar a forma de dentro (piloto), que é outra maneira muito usada para fazer lanternas ou luminárias.

9. Coloque a forma dentro do balde com água.

Posicione a foto como nos passos 5 a 8.

como funciona a técnica da Lanterna sem Piloto?
A água fria do balde vai resfriar a forma e a parafina de fora para dentro. Assim será formada a parede da lanterna.
O tempo de permanência da forma dentro do balde vai determinar a espessura da parede da lanterna.
Quanto mais tempo ficar na água, mais grossa será a parede.
10. Deixe esfriar naturalmente e fique observando até chegar a espessura desejada.



Normalmente a parede com 1cm ou 1,5cm de espessura fica resistente e harmoniosa com o resto da lanterna.
É claro que depende do tamanho da forma.
Lanternas grandes devem ter as paredes mais grossas.
Não faça muito espessa pois não terá a luminosidade externa e os enfeites e fotos não aparecem.

11. Quando ficar na espessura desejada, despeje a parafina para fora da lanterna.



Coloque a parafina de volta na panela do banho Maria ou aproveite para fazer moldar outras velas.

Dicas:

As vezes uma película de parafina fecha a boca da lanterna. Use uma faca ou estilete e recorte a boca para despejar.
Enxugue a forma antes de despejar, assim não corre o risco de cair água na panela e prejudicar a parafina restante.
Agora deixe esfriar naturalmente.
Não tente desenformar quente pois vai estragar o trabalho.
As paredes devem estar totalmente frias para não trincar ou deformar.

12. Quando estiver totalmente fria, vire a forma de lado e puxe a lanterna delicadamente.


13. Faça o acabamento. Nivele a boca da luminária e tire as imperfeições.


Na foto, foi usada a assadeira sobre uma panela com água quente, passando a luminária de boca para baixo, até ficar lisinha.
Pronto !!!

Coloque o refil e pronto.
A sua foto personalizada será sempre iluminada com a chama da paz e da alegria.

domingo, 14 de novembro de 2010

Lição 7 Jardim da Infância 13 de novembro de 2010

VERSO PARA DECORAR
“O Senhor [disse]: Com amor eterno Eu te amei.” Jeremias
31:3, ARA.
image
Resumo da Lição
Certa mulher perdeu uma de suas 10 moedas de prata. Ela a procurou por todos os cantos e varreu o chão até encontrá-la. A mulher ficou tão contente que contou para suas amigas e vizinhas que havia achado a moeda perdida e as convidou para comemorar com ela.
Esta lição fala sobre graça. Deus nos ama tanto que está constantemente nos procurando e nos salvando a fim de podermos celebrar e viver com Ele para sempre. Seu amor é um dom da graça a nós por sermos importantes e preciosos para Deus.
Lição Bíblica
Cantar “Estamos Quietinhos” (ver p. 106, CD faixa 11).
Vivenciando a História
Com antecedência, esconder uma moeda na sala.
Vocês vão representar a mulher em nossa história de hoje. À medida que eu for contando a história, vocês farão a encenação.
Uma mulher possuía dez moedas de prata. Elas eram muito preciosas para ela, por isso cuidava bem delas. Certo dia, ela percebeu que estava faltando uma moeda. Para ter certeza disso, ela verificou de novo. Ela as contou. [As crianças contam as moedas.] 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9... Com certeza – havia apenas nove!
Aquela mulher provavelmente morasse em uma casa com piso de terra batida coberto com palha limpa. A casa tinha apenas uma janelinha, por isso era uma casa escura. Quando a mulher percebeu que sua moeda estava perdida, ela sabia que a moeda havia caído no piso.
Estava perdida em algum lugar em meio a toda aquela palha! Pelo fato de não haver muita claridade dentro da casa, ela teria muito trabalho para encontrar a moeda perdida!
Assim, primeiro ela acendeu a luz para ter mais claridade, e então começou a procurar.
[Acender a vela ou lanterna.] Muito cuidadosamente, ela revolveu as palhas observando para ver se a moeda brilhava ou fazia barulho ao cair na terra batida. E então, depois de sacudir a image
palha, ela a levava para fora. Depois de removida toda a palha, ela varreu cuidadosamente a casa inteira, procurando atentamente por sua moeda. [Dar a cada criança uma vassourinha ou pedir-lhes que façam de conta que varrem.] Primeiro varreu uma parte da casa, depois outra, levando consigo a lâmpada enquanto se movia de um lado para outro.
Vagarosa e cuidadosamente, sempre com muita atenção, ela varria muito bem o piso enquanto procurava por sua moeda.
De repente – será que ela vira alguma coisa brilhando um pouquinho? Ela se curvou para olhar, afastando a poeira. Sim! Ali estava sua moeda!
Ela a encontrara! Estava muito feliz! Correu para contar a suas amigas e vizinhas.
– Minha moeda! Eu encontrei minha moeda perdida!
As outras mulheres também ficaram felizes por ela ter achado a moeda perdida.
– Venham – disse ela. – Venham comemorar comigo.

Vasos de Barro

Lição 7 Primários 13 de novembro de 2010

VERSO PARA DECORAR
“Senhor, [...] nós somos o barro; Tu és o oleiro. Todos nós somos
obra das Tuas mãos.” Isaías 64:8, NVI.
Resumo da Lição
Deus pediu a Jeremias que visitasse um oleiro que estava trabalhando em sua roda. O oleiro estava fazendo um vaso de barro. O vaso apresentou um defeito e o oleiro fez tudo de novo. Deus disse a Jeremias que Israel estava em Suas mãos e que Ele tinha poder para formar de novo a nação conforme Sua vontade.
Esta lição fala sobre graça. Embora estejamos manchados pelo pecado, Deus tem prometido modelar-nos, fazer-nos à Sua imagem, transformar nossa vida conforme a Sua vontade, se formos maleáveis em Suas mãos. Ele começa antes de nosso nascimento e continua a modelar-nos através de nossa vida, fazendo de nós vasos de muito valor.
Lição Bíblica
Vivenciando a Lição
Com antecedência, preparar a massa de biscuit. Dar uma porção de massa para cada criança. Enquanto a história é contada, permitir que as crianças façam alguma coisa com seu “barro”. Elas podem fazer um vaso, uma caneca, um prato, etc.
O hábil artista separou com sua faca uma porção de barro de um grande pedaço.
Ele ajeitou o barro com as mãos, colocou-o sob a roda de oleiro e se assentou. [Se possível, demonstrar com a roda de oleiro. Se isto não for possível, demonstrar através de gestos.] Então, seus pés começaram a movimentar o pedal para cima e para baixo, e a roda começou a girar. Sob as mãos do oleiro, o barro parecia criar vida própria. Depois de liso, tinha agora uma cavidade no centro e os lados suaves e claros. O oleiro mergulhou as mãos rapidamente em uma bacia de água e retornou a seu trabalho. Quase amorosamente, suas mãos pressionavam o barro e ele reagia instantaneamente. Os lados arredondados começaram a afunilar-se para formar um longo pescoço. Depois a boca do vaso foi formada. Então a roda do oleiro foi diminuindo a velocidade até parar.
O oleiro trançou alguns pedaços lisos de barro. Ele rapidamente fixou a trança em um dos lados do vaso para formar uma alça. Novamente ele pegou sua faca e desta vez ele empurrou para fora da roda seu invento, colocando-o cuidadosamente sobre uma prateleira para secar. O que fora apenas uma bolota de barro havia se transformado em um lindo vaso de barro com uma alça.
Mas o oleiro continuou trabalhando. Sua porção de barro fresco não podia esperar.
Ele separou outra porção de barro. Como fizera antes, ajeitou o barro com as mãos e o colocou sobre a roda de oleiro. Girando, girando, modelando para cima e para baixo o barro ia sendo moldado. Enquanto o formato de um pote de água aparecia entre suas mãos, sua atenção foi desviada para um homem que o observava. O oleiro levantou o olhar e sorriu. Mas naquele instante os lados do pote se dobraram para dentro e a roda que girava parou.
– Sinto muito – disse o homem, levando a mão à boca.
– Não se preocupe – disse o oleiro, abanando a cabeça. – Eu o consertarei em um instante.
O homem que observava se apresentou:
– Meu nome é Jeremias. Fui enviado por Deus para observar seu trabalho.
O oleiro demonstrou-se interessado.
– A beleza do barro – disse ele – é que se ficar fraco demais em um ponto, ou se cometo um erro ao trabalhar, apenas reforço a parte fraca ou começo tudo de novo. Algumas vezes isso o torna o que estou fazendo mais forte do que antes. Eu sempre tento fazer com que o barro se transforme naquilo que pareça melhor.
– Então os erros podem ser consertados – comentou Jeremias.
– Com certeza. Posso modelar e remodelar o barro até que ele seja aquilo que deve ser. Quando fico contente com o produto final, outras pessoas também o acharão belo e útil.
– Seu trabalho é muito bonito – disse Jeremias, acenando com a cabeça. Ele ficou ali, observando o oleiro por mais alguns minutos. Então mais uma vez admirou os objetos ali expostos.
Havia pequenas lâmpadas de óleo para quartos; vasilhas de todos os tamanhos para creme, leite ou água; grandes potes para guardar azeitonas ou cereal, ou para conservar a água fresquinha.
Tudo era feito do mesmo material, pelo mesmo criador. Mas todos eram um pouquinho diferentes.
Cada um deles tinha um propósito especial. Esta era a lição que Deus desejava que Jeremias aprendesse. Foi por isso que Ele enviara Jeremias para observar o oleiro trabalhar. Agora Jeremias podia explicar como Deus modela a vida de cada pessoa. Como Ele toma os erros que acontecem e os transformam em algo belo.
Nas mãos de Deus, cada vida pode estar a serviço de outras pessoas.

Carta de Amigo

Lição 7 dos Juvenis 13 de novembro de 2010

Verso Para Memorizar
“Contudo, a graça de nosso Senhor transbordou sobre mim, com a fé e o amor que estão em Cristo Jesus.” 1 Timóteo 1:14.
Resumo da Lição
Esta lição é baseada em 1 Timóteo 1, capítulo em que Paulo conta a Timóteo a história da graça de Deus, que o buscou enquanto ele ainda estava perseguindo violentamente os cristãos. “A graça de nosso Senhor transbordou” na vida de Paulo. Ele explica a missão
de Jesus: vir à Terra para salvar pecadores. Deus é paciente conosco, tentando desenvolver com cada um de nós uma amizade íntima.
Esta lição fala sobre graça. Assim como o amor de Deus pacientemente buscou Paulo em meio às suas atividades de perseguição, da mesma forma busca cada um de nós hoje. Não há nada que possamos fazer para aumentar o amor de Deus por nós, e nada que possamos fazer impedirá que o amor de Deus busque todas as formas de nos salvar. Este amor é uma preciosa graça.
Estudo da Lição
Introduzindo a História Bíblica
Nossa lição de hoje conta a história do Pastor Paulo, que escreveu ao jovem Timóteo, sobre a graça de Deus que constantemente o buscou enquanto ele era um violento perseguidor dos cristãos. “A graça de nosso Senhor transbordou” na vida de Paulo de acordo com as próprias palavras dele na carta ao seu amigo. Ele continua explicando que a missão de Jesus, ao vir à Terra, era salvar pecadores. Assim como o amor e a paciência de Deus alcançaram Paulo, da mesma forma Deus quer nos alcançar hoje.
Não há nada que possamos fazer para merecer ou aumentar o amor de Deus por nós, e nada que possamos fazer jamais impedirá que o amor e a paciência de Deus deixem de nos buscar para nos salvar.
Vivenciando a História
Com antecedência, preparar uma caixa de correio e colocar dentro uma cópia da Carta a Timóteo. Uma pessoa caracterizada como Timóteo deverá entrar com alguém caracterizada como sua mãe. A mãe abre a caixa do correio e entrega a carta a Timóteo. Durante todo o tempo eles fazem de conta que estão conversando como se fossem mãe e filho (fazendo mímica, mas sem som). Então, Timóteo abre a carta e a lê em voz alta.
image

O Pior Terrorista do Mundo

Lição 7 dos Adolescentes 13 de novembro de 2010

Texto Bíblico: Apocalipse 12:17; 2 Timóteo 3:1-5; 2 Pedro 3.
Comentário: O Grande Conflito, capítulo 36.
Verso Bíblico: Apocalipse 12:17.
I. SINOPSE
Abordar o tema do terrorismo não é mais uma tarefa difícil hoje em dia. Os noticiários sempre trazem vários exemplos.
Pollster George Gallup realizou uma pesquisa entre os norte-americanos com o objetivo de descobrir de que forma os ataques terroristas de 11 de setembro de 2001 afetaram a vida da população. Os resultados foram:
• 20% dos americanos conheciam alguém que desapareceu, foi ferido ou morto durante os ataques ao World Trade Center, ao Pentágono ou na queda do avião na Pensilvânia.
• 58% dos homens e 82% das mulheres afirmaram que choraram em consequência dos ataques terroristas de 11 de setembro.
• Um terço da população norte-americana mudará aspectos de sua vida pessoal a fim de reduzir as chances de se tornar vítima do terrorismo.
A Bíblia revela que antes da volta de Jesus haverá caos e confusão no mundo. O maligno incitará todos os ataques terroristas que puder para destruir o maior número possível.
A lição desta semana oferece a oportunidade ideal para falar francamente com os alunos a respeito do que está ocorrendo no mundo hoje. O cenário predito por Ellen White há quase um século tornou-se realidade em escala global.
Certamente, nunca houve melhor momento para tratar desses temas de estudo – espiritualidade, autoridade, respeito e obediência – do que agora! Jesus está voltando! Leve os alunos a fazer uma auto reflexão com a pergunta: “Você está pronto?”
O pastor Dwight Nelson escreveu: “Você está pronto para Jesus voltar? Trata-se na verdade de um convite para aceitar a Sua eterna amizade todos os dias e todas as noites até Ele voltar. Simples assim.
Apresentando o Contexto e o Cenário
Use as informações a seguir para elucidar alguns aspectos da história para seus alunos.
Explique em suas próprias palavras.
Em 28 de fevereiro de 2007, um dia depois de o mercado de ações Dow Jones cair quatrocentos pontos, um repórter da CNN
entrevistou um especialista em finanças. O repórter perguntou aquilo que todo mundo queria saber:
– Com base na violenta instabilidade do mercado financeiro, o que devemos fazer com os nossos investimentos a essa altura? Devemos comprar? Vender? Esperar?
A resposta do especialista soou familiar aos adventistas – ou seja, àqueles que aguardam a volta de Jesus. Seu conselho foi muito simples:
– Espere e vigie.
Espere e vigie. Não entre em pânico. Não compre. Não venda. Apenas espere e vigie.
Jesus aconselhou-nos a fazer o mesmo ao predizer o caos em que mundo estaria sujeito nos últimos dias. “Não temam”, disse. Em Mateus 24, Ele revelou uma série de sinais que nos alertariam da proximidade de Sua volta – terremotos, guerras, aumento do conhecimento e assim por diante. Em seguida, proferiu as seguintes palavras: “Portanto, vigiem, porque vocês não sabem em que dia virá o seu Senhor.” Mateus 24:42. Novamente, em Mateus 25:13, Jesus afirmou: “Portanto, vigiem, porque vocês não sabem o dia nem a hora!”
Observe que Jesus não disse apenas para “esperarmos”, sugerindo, assim, uma atividade passiva. Ele ordenou: “esperem e vigiem”.
Vigiar não é o mesmo que agir como mero espectador. Como Oswald Chambers disse:
“A única maneira de aguardarmos a segunda vinda é vigiarmos para fazer aquilo que devemos fazer. Assim, não fará diferença o dia de Sua volta. Assemelha-se à atitude de uma criança, certa de que Deus sabe o que está para fazer. Quando o Senhor voltar, será tão natural quanto respirar.” (Ver Edythe Draper, Draper’s Book of Quotations for the Christian World, citado em Bible Illustrator, Parsons Technology.)
O apóstolo Pedro fez uma observação semelhante: “O dia do Senhor, porém, virá como ladrão” (2 Pedro 3:10). Lembre-se de que Pedro estava juntamente com os outros discípulos na ocasião em que Jesus afirmou:
“Mas entendam isto: se o dono da casa soubesse a que hora da noite o ladrão viria, ele ficaria de guarda e não deixaria que a sua
casa fosse arrombada.” Mateus 24:43. Assim, Pedro lembra-nos de que o Senhor virá como um ladrão no meio da noite.
Pedro escreveu: “Os céus desaparecerão com um grande  estrondo.” Há uma comparação interessante associada à palavra grega traduzida como “estrondo”. A mesma palavra, roizedon, é usada para descrever o som que a espada faz ao cortar o ar. A ideia transmitida aqui é os céus desaparecerão mais rápido do que uma bala lançada por uma arma de fogo. “Os elementos serão desfeito pelo calor, e a terra, e tudo o que nela há, será desnudada.” 1 Pedro 3:10. Pedro declarou que a segunda vinda apanhará muitos de surpresa. Assim, o apóstolo adverte-nos a esperarmos e vigiarmos. “Vivam de maneira santa e piedosa”, afirmou, “esperando o dia de Deus e apressando a Sua vinda.” Versos 11 e 12.
Resumo
Compartilhe os seguintes pensamentos, usando suas próprias palavras: Certamente, há coisas específicas que devemos fazer enquanto aguardamos a volta de Jesus. Guilherme Miller, o pioneiro adventista que erroneamente interpretou que Daniel 8:14 revelava que Jesus voltaria em 22 de outubro de 1844, descobriu essa verdade em seus últimos anos de vida. Antes de sua morte, Miller confidenciou ao amigo, Hendrix:
– Agora sei quando Jesus voltará.
– Sério? – o amigo respondeu. – Você errou da última vez. Quando acha que Jesus voltará?
O idoso Miller respondeu:
– Jesus voltará hoje, hoje, hoje, hoje... até Ele voltar.
Nós também sabemos quando Jesus voltará.
Ele voltará hoje, por isso devemos orar.
Hoje, por isso devemos amar. Hoje, por isso devemos servir. Hoje... até Ele voltar.
Dicas Para um Ensino de Primeira Linha
Esperança – Não Medo
Ao abordar o tema dos acontecimentos dos últimos dias é importante ressaltar a esperança, não o medo. Cuide para não causar temor aos alunos ao dar as boas-novas da volta de Cristo! Sabemos que antes de Jesus voltar seremos perseguidos e torturados por causa de nossa fé. Muitos serão traídos por seus familiares e amigos. As guerras e a violência aumentarão.
Mas a verdade é: não sabemos exatamente como serão os últimos dias da história da Terra. Assim, encoraje os alunos com as palavras de Jesus: “Não se perturbe o coração de vocês. [...] Vou preparar-lhes lugar.” João 14:1-3.

Atividades Diversas

Baú de papel
bau%20tesouro
Bíblia para montar
bibliapara montar.1
Personagens bíblicos para imprimir, colorir e montar
boneca de papel bíblica.gifroupas boneca de papel bíblica.gif1 boneca de papel bíblica.gif2 boneca de papel bíblica.gifcabelosboneca de papel bíblica.gif3  boneca de papel bíblica.gifcorpo1 boneca de papel bíblica.gifroupas1 boneca de papel bíblica.gifroupas2
!!!7 !!!4 !!!5 !!!6
Casinha para imprimir e montar
enfeite%20casinha
VIDA_D~1

O maior acontecimento da história do mundo!!! A volta de JESUS!!!

Como chegar a IASD de Miguel Couto

Alguns trabalhos que já fiz...


MADRINHA do blog "Artes" da Vânia

MADRINHA do blog "Artes" da Vânia
Malu Lacerda, mulher vitoriosa em CRISTO JESUS. Amiga nas horas em que precisei, amiga que divide, ensina e que sempre que possível ajuda. Que Jesus te abenço te dando muita paz, saúde e $uce$$o e que sua família permaneça aos pés do SALVADOR... Escolhi vc para madrinha do blog, porque entre muitas que conheço usa sua inteligência voltada para a educação das crianças de DEUS e além disso é minha irmã em CRISTO JESUS e isso é muito importante. Bjinhos no seu coração.

EU AMO!!!

EU AMO!!!

Aqui vc encontra tudo para o seu blog!!!